Ele estava cansado. Uma poeira densa cobria o ar. Ele se sentia desorientado e humilhado. A dor era terrível. Por quanto tempo aguentaria?
Parou. Mirou o Chão. Se desesperou. Não encontrava forças. Pensou em desistir. Havia sangue no chão sujo. Seu próprio sangue…
De repente, ele a viu. Deu um grito e, num pulo, se agachou para ver melhor. Como poderia estar ali, o tempo todo, jogada no chão? Ele deve ter pisado nela várias vezes… e, nossa, como brilha! Como não havia pensado em procurar no chão?
Ele estava maravilhado. Seus pulsos pingavam, sujando de sangue a pedra fria do santuário. Suas pernas estavam dormentes. Mas ele se animou. Estava ajoelhado diante da chave.

Anúncios

4 Responses to

  1. damnerd disse:

    e então? e então? o que acontece depois?!?!

  2. Juliana disse:

    Uau = D Ai que bonitinho que ficou, Elias! Também quero a continuação!!

  3. lonewolf disse:

    nossa, que ritual louco @.@

  4. Sarah ^^ disse:

    +o+

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: